Unidade Temática: Planificação

Introdução da Unidade Temática

Esta é a sexta unidade. Nesta unidade vamos trabalhar com conteúdos que fomos aprendendo ao longo do módulo. Pode se dizer que esta unidade é a síntese de tudo o que fomos aprendendo, pois aqui se enquadram desde os objectivos, funções didácticas, métodos, meios, princípios em ciências sociais, conceito em ciências sociais. Esta unidade vai nos levar as actividades práticas de leccionação.

Evidências Requeridas da Unidade Temática

  • Constrói um plano de aula;
  • Reconhece o valor da planificação;
  • Aplica o domínio dos objectivos;
  • Separa os objectivos de acordo com os domínios;
  • Obedece as normas que orientam a definição dos objectivos;
  • Formula correctamente os objectivos;
  • Esquematiza a aula de acordo com as funções didácticas;
  • Determina os conteúdos a desenvolver em cada função didáctica.

Planificação de uma aula de Ciências Sociais

A aula é uma forma básica de organização do processo de ensino aprendizagem. Ela pode ser considerada como um periodo determinado de tempo, num determinado espaço e condições em que o professor estimula o processo de ensino aprendizagem com o proposito de alcançar objectivos previamente estabelecidos, tendo como aspecto importante a assimilação consciente e activa dos conteúdos de ensino por parte do aluno. Para que isso aconteça, a aula deve ser cuidadosamente planificada.

Para a planificação de uma aula é necessário que antes os grupos de disciplina ou de classe, façam primeiro uma planificação trimestral ou semestral e ainda uma planificação temática.

A planificação trimestral ou semestral deve ser feita de acordo com o plano de estudo fornecido pelo Ministério. A planificação temática consiste em distribuir racionalmente por horas cada tema do programa, com uma indicação sobre os métodos e meios de ensino aprendizagem.

Ao planificação uma aula de Ciências Sociais o professor deve considerar dois aspectos fundamentais que são os aspectos das Ciências Sociais e o aspecto pedagógico. Deste modo, o professor deve estudar e conhecer o programa de ensino, o manual do professor,o livro do aluno, entre outros.

Ao seleccionar a bibliografia deve se ter em consideração à mais actualizada em relação ao conteudo da aula. É necessario verificar se o material tem relação com o programa de ensino e corresponde ao desenvolvimento intelectual dos alunos.

Pré-requisitos para uma boa planificação

Os pré-requisitos para uma boa planificação refere-se a um conjunto de informações e de conhecimentos prévios, considerados necessários para que os alunos possam compreender os contúdos dos programas. Os pré- requisitos são o conhecimento, as atitudes e aptidões indispensaveis à aquisição de outros.

Na planificação de uma aula deve-se ter em conta os seguintes elementos:

  1. A definição dos objectivos
  2. As funções didácticas
  3. Os métodos de ensino
  4. Os meios de ensino
  5. Os conteúdos
  6. O tempo de cada passo da aula
  7. Conceito em Ciências Sociais
  8. Princípios em Ciências Sociais
  9. Um cabeçalho onde deve constar a Unidade temática, o tema, o subtema caso tenha ou o assunto, a duração total da aula, o nome da Escola e do professor.

Importância da planificação de uma aula

A planificação de uma aula é importante pois ela ajuda o professor na selacção das actividades de ensino e aprendizagem, ás quais se associam aos objectivos, conteúdos, metodologia e técnicas de avaliação.

A planificação de uma aula ajuda o professor na organização, execução, controlo e utilização correcta do tempo disponível.

A planificação da aula é importante pois ajuda o professor a fazer uma auto avaliaçãono final da aula.

A importância da planificação encontra-se no acto de planear não apenas no nosso dia-a-dia, mas principalmente, no dia-a-dia da sala de aula.

É importante planear pois facilita o trabalho tanto do professor como do aluno. A planificação reveste-se de grande importância, poi é um instrumento direcional de todo o processo educacional. A planificação estabelece e determina as grandes urgências, indica as prioridades básicas, ordena e determina todos os recursos e meios necessários para a consecução de grandes finalidades, metas e objectivos da educação.

Funções didácticas (revisão)

Temos quatro funções didácticas nomeadamente: Introdução e Motivação; Mediação e Assimilação; Domínio e consolidação e Controle e Avaliação.

A primeira função didáctica ou seja Introdução e Motivação – refere-se no início da aula onde o professor deve iniciar a aula preparado o aluno para tal. O professor deve criar um clima de acordo com que o aluno assista a aula num bom ambiente.

A segunda função didáctica ou seja a Mediação e Assimilação – o professor transmite os conteúdos da aula e os alunos por sua vez vão assimilando os conteúdos transmitidos.

A terceira função didáctica ou seja Domínio e consolidação – o professor procura verificar ate que ponto os alunos tem o domínio dos conteúdos adquiridos e procura consolidar os que não foram dominados.

A quarta função didáctica ou seja Controle e Avaliação – aqui o professor faz um controle dos conteúdos leccionados durante a aula e por fim a sua avaliação.

A definição dos objectivos descreve os resultados da aprendizagem dos alunos (revisão)

Os objectivos educacionais descrevem o saber, saber fazer e saber ser do aluno, isto é, os resultados da aprendizagem e da formação dos jovens. Os objectivos educacionais ao descrevem aquilo que o aluno deverá atingir indicam também a experiência educacional necessária para que o objectivo seja atingido.

Os objectivos antecipam os resultados esperados do trabalho conjunto do professor e dos alunos, expressando, conhecimento, habilidades e hábitos a serem adquiridos, de acordo com as exigências metodológicas.

Hierarquia dos objectivos

De uma maneira geral, pode-se dizer que, para além dos objectivos estabelecidos ao nível da política educativa pelos órgãos do poder, é fundamental que se definam os objectivos educacionais a três níveis:

  • Ao nível do ministério da educação, propostos pelas autoridades pedagógicas, definem-se os objectivos de cada nível;
  • Ao nível das equipas que elaboram o programa de cada disciplina ou dos professores quando faltam objectivos explícitos formulados nos programas, definem-se objectivos gerais da disciplina;
  • Ao nível do professor, quando na sua actividade quotidiana clarifica os objectivos gerais expressando-os de forma a traduzirem um comportamento observável objectivos operacionais, específicos ou compartimentais.

Regras para a definição dos objectivos

1ª. Os objectivos devem estar de acordo com o nível de desenvolvimento mental dos alunos;
2ª. Deve-se partir dos objectivos gerais para os específicos;
3ª. Deve-se partir ainda dos conceitos ou noções mas simples para as mais complexas;
4ª. Os objectivos devem ser estruturados numa sequência gradativa e inter-relacionada.

Normas para uma correcta divinação dos objectivos

1ª. Os objectivos devem exprimir o resultado da aprendizagem a ser atingido pelo aluno:

a) Um objectivo de ensino deve exprimir o resultado que pretendemos atingir;
b) O objectivo não deve exprimir o que o professor vai fazer, mas sim os resultados que se espera do aluno;
c) O objectivo deve expressar a actividade do aluno em termos de conduta.

2ª. Definição dos objectivos/ orientação do ensino

Os objectivos podem ser definidos de duas maneiras:

a) Enumeração das condutas especificas a demonstrar pelos alunos;
b) Definindo primeiro o objectivo de carácter mas geral e determinando em seguida através de uma amostra a conduta especifica.

3ª Definição dos objectivos gerais

a) os objectivos gerais devem definir-se com um verbo que exprime o nível de generalidade de que se pretende;
Exemplo: verbos conhecer, compreender, reconhecer, analisar, aplicar, resolver, julgar, integrar, etc.
b) Só se deve incluir em cada objectivo um resultado de aprendizagem.

4ª Definição de objectivos específicos

a) Colocar, sob cada objectivo geral uma lista de resultados específicos;
b) Enunciar os objectivos específicos com verbos que indiquem comportamento observável;
c) Convém seleccionar condutas específicas que sejam importantes e adequadas ao objectivo geral que descrevem.

Vantagens da formulação dos objectivos

  1. É um princípio básico duma correcta planificação;
  2. É uma forma de racionalizar o processo de ensino- aprendizagem;
  3. É a forma mais adequada para consciencializar os valores e fins da educação;
  4. Torna transparente a prática pedagógica;
  5. Torna possível comunicar com os alunos, pais ou encarregados de educação;
  6. É a base necessária para seleccionar os métodos e meios de ensino- aprendizagem;
  7. Constitui a base para um auto – aperfeiçoamento contínuo;
  8. É essencial para o direccionamento do processo de ensino – aprendizagem.