Apontamentos Nível II – Reparação e acção correctiva

Nível II – Reparação e acção correctiva

Exterior: Reparar os elementos que tenham sido danificados. Substituir um elemento que esteja  extensivamente degradado por outro elemento que condiga em desenho, cor, textura e, sempre  que possível, materiais.

Telhado: Reparar o telhado, as platibandas e os beirados balanceados que estejam a deixar entrar humidade; aplicar uma membrana à prova de gelo e de água no metro mais baixo dos telhados, nos climas frios, para limitarem os danos consequentes dos bloqueios de gelo; aumentar a ventilação do sótão, se existir um problema de acumulação de calor e humidade. Aumentar a inclinação das caleiras. Consultar manuais profissionais para dimensionar e substituir as caleiras, se necessário, de forma apropriada à arquitectura histórica. Colocar tampas nas chaminés fora de serviço que recolham a água da  chuva.  

Paredes: Reparar alvenarias fracturadas, elementos em terracota, etc. pela instalação selectiva de novas unidades de alvenaria a condizer; substituir as tábuas do revestimento exterior que estejam apodrecidas junto ao terreno, e ajustar o terreno ou as tábuas para se manter um afastamento adequado entre si; proteger ou cobrir os poços das janelas de cave que estejam abertos.  

Terreno: Corrigir os problemas sérios de água no terreno; capturar e conduzir a água de descarga dos tubos de queda para longe das fundações; e controlar a difusão do vapor proveniente da humidade da caixa de ar sob o pavimento inferior.

Terreno: Repor uma inclinação positiva no terreno; tentar obter uma pendente de 15 cm nos primeiros 3 m em redor da fundação do edifício; em edifícios sem sistema de caleiras, inclinar o terreno e instalar um sistema enterrado de recolha eficaz com gravilha, ou com membrana impermeável e drenos perimetrais; ajustar o alcatrão ou a inclinação dos drenos de recolha dos beirados, ou dos  drenos enterrados para se reduzir a água que salpica para as paredes das fundações; acrescentar  curvas de descarga aos tubos de queda ou aumentar os tubos para afastar a água descarregada para longe das fundações do edifício, até à maior distância possível.  

Recomendado para si:   Identificação das pedras calcárias

Caixa de ar do pavimento inferior: Aplicar uma barreira de vapor em polietileno (espesso para construção, ou Mylar) sobre a terra exposta na caixa de ar, se a monitorização indicar que isso é necessário e que não existe humidade ascendente; acrescentar grelhas de ventilação para haver  mais ventilação cruzada, se for determinado que isso é aconselhável.  

Fundações e caves: Corrigir os elevados níveis de humidade existentes, se os outros meios de correcção da humidade do terreno forem inadequados.

Equipamentos mecânicos : Acrescentar drenos perimetrais interiores e bombas de extracção; acrescentar desumidificadores para controlo sazonal da humidade nos espaços confinados não  ventilados (mas sem criar problemas de atracção de água a partir das paredes); acrescentar ventiladores mecânicos para melhorar o fluxo de ar, mas não usar ao mesmo tempo os  desumidificadores e os ventiladores.  

Paredes: Remover os revestimentos impermeáveis, se eles estiverem a reter a água dentro das paredes; revestir as paredes com rebocos permeáveis ao vapor, à base de cal, se essas paredes necessitarem de um revestimento sacrificial que proteja a argamassa contra a erosão; acrescentar barreiras contra térmitas se existir evidência de térmitas e não se conseguir controlar a humidade.  

Estrutura de madeira: Reforçar a estrutura de madeira existente dos pavimentos que esteja enfraquecida pela humidade, acrescentando-lhe suportes feitos com pilaretes de alvenaria e reforçar os topos das vigas com suportes geminados ou paralelos. Acrescentar uma barreira de vapor impermeável, de preferência num metal não ferroso, por baixo das vigas de madeira que fiquem em contacto com a alvenaria húmida.

Recomendado para si:   Pedra molhada e pedra seca

Interior: Eliminar áreas onde a humidade está a escorrer ou a provocar problemas.

Canalização: Substituir os canos e os dispositivos velhos que apresentem fugas ou  transbordamentos; isolar os canos de água sujeitos a condensação.  

Ventilação: Acrescentar ventiladores mecânicos e ventoinhas para aumentar o fluxo de ar  através do edifício, se existirem áreas húmidas, ou se for necessária mais ventilação para se  controlarem o bolor e o míldio.  

Climatização: Ajustar a temperatura e a humidade relativa para se gerir a humidade interior; corrigir áreas com pressões de sistemas de AVAC incorrectamente equilibradas e que possam ter  provocado um problema de humidade. 

Baixar Documento