Povos que contribuíram para a formação do homem cabo-verdiano

Povos que contribuíram para a formação do homem cabo-verdiano

Povos que contribuíram para a formação do homem cabo-verdiano

Para a formação da sociedade cabo-verdiana participaram, inicialmente, dois grandes grupos étnicos bastante distintos: brancos europeus e negros africanos.

Europeus

Os brancos, grupo numericamente minoritário, era constituído por europeus de diferentes nacionalidades: portugueses, genoveses, castelhanos, cristãos-novos, e não só.

No que dizem respeito aos europeus, os portugueses eram em maior número. Foram os primeiros a se instalar no arquipélago, logo no início do processo de povoamento, que se iniciou em 1462. Fixaram-se primeiramente em Santiago e, mais tarde, na ilha do Fogo, a segunda a receber povoamento humano.

Na origem do povoamento do arquipélago encontram-se incentivos comerciais concedido pela coroa com o intuito de atrair gente do reino para Santiago. Entretanto, este atractivo, a priori, atraia os comerciantes. No entanto foi isso que aconteceu. Estes homens de negócio foram os primeiros a povoar Cabo Verde, começando por Santiago, na esperança de poderem comerciar com a Guiné e enriquecer rapidamente. Tudo isso dependia da posse de cada um.

A população de origem portuguesa logicamente não era composta apenas por gentes ligados a actividade comercial. À medida que a sociedade ia se desenvolvendo e estruturando iam surgir outros agentes para o controle e regulamentação das actividades comerciais que ai se desenvolviam, para a gestão político-administrativa, para a assistência espiritual, para assistência sanitária, etc. Esses indivíduos desempenhavam funções de almoxarife, feitores, vedores da fazenda, ouvidores, missionários, padres, almotacés, entre outros.

Recomendado para si:   A resistência africana contra a presença colonial

Do reino ainda encontramos indivíduos que eram degredados (em virtude de crimes cometidos eram enviados para Cabo Verde), profissionais de diversos ofícios mecânicos e homens do mar.

Para fechar esse tópico, gostaríamos de dizer que estes são os principais grupos europeus que contribuíram para a formação do homem cabo-verdiano, sendo os portugueses constituindo a maioria da população branca.

Pelo facto de maioria deles se dedicavam ao comércio, os indivíduos de origem europeia se encontravam concentrados em maior quantidade na Ribeira Grande e em menor número no interior. Finalizando o estudo sobre os brancos europeus, resta nos dizer que o seu número nunca atingiu grandes proporções relativamente ao dos africanos. É de salientar também que quase não havia mulheres brancas e aquelas poucas que havia (quatro em1513) ou eram degredadas ou eram prostitutas.

Africanos

Como é sabido, os africanos eram os principais povoadores do arquipélago na medida em que eram maior número dos restantes povos que para cá vieram. Representavam a maioria da população no arquipélago. Mas é muito difícil saber cabalmente as suas origens étnicas, uma vez que eles eram mercadorias como qualquer outro e por isso não se preocupavam em identificar as suas origens étnicas.

Entretanto, os estudiosos apontam que os negros trazidos como escravos foram provenientes da zona comummente designado de costa da Guiné, que ia aproximadamente desde a margem sul do rio Senegal ao rio Orange, no limite norte da Serra Leoa. Vieram de várias etnias: Banhus, Cassangas, Jabundos, Manjacos, Felupes, Ariantas, Balantas, Papéis, Naluns, Bijagós e Burames. Também levanta-se a hipótese de ter havido em Cabo Verde alguns africanos livres que acompanhavam os comerciantes. Segundo Elisa Andrade, estes africanos desempenhavam o papel de intérprete dos lançados e dos marinheiros de Santiago nos rios de Guiné.

Recomendado para si:   Consequências do tráfico de escravos

Em suma podemos dizer que estes são os povos que ao cruzarem uns com os outros formaram aquilo que hoje é o homem cabo-verdiano.

Baixar Documento