O legado da civilização islâmica

O legado da civilização islâmica

Cultura, ciência e técnica

Os muçulmanos puseram em contacto povos muito diversos e desenvolveram uma importante civilização nas zonas que dominaram. Asimilaram e reelaboraram elementos culturais provenientes de países de grandes civilizações, criando, ao mesmo tempo, uma cultura rica e singular.

Assim, graças aos muçulmanos, muitas ciências e técnicas foram conhecidas na Europa. Foi por exemplo, o caso da pólvora, da bússola e do fabrico do papel chineses que os europeus desconheciam. Também introduziram na Europa novas culturas, como a do algodão, do arroz, da cana-de-açúcar, citrinos e alguns legumes.

As condições geográficas em que viviam, com o predomínio de regiões desérticas, levaram os muçulmanos a aperfeiçoar os sistemas de regadio, tais como as cegonhas ou picotas, canais subterrâneos, noras e moinhos, sobretudo em regiões de escassa pluviosidade.

Os muçulmanos também foram divulgadores do pensamento dos cientistas e filósofos gregos da Antiguidade. O caso mais notável é o de Averrois (1126-1198), grande sábio de Córdova, que comentou as obras de Aristóteles. Os trabalhos de Averrois foram mais tarde traduzidos em latim e espalharam-se por toda a Europa.

Na matemática, desenvolveram a álgebra e basearam-se nos Indianos para criar a numeração árabe – que incluíam o zero – a qual ainda hoje utilizamos. Além disso, desenvolveram a álgebra e a trigonometria.

Na astronomia, estudaram os movimentos da lua e de rotação da terra. Com a criação do astrolábio, foram igualmente capazes de estudar a posição de estrelas, o que favorecia a orientação quando navegavam.

Recomendado para si:   Historiografia do Século XX

Apaixonados pela Alquimia, descobriram o álcool, a potassa e o ácido sulfúrico, além de desenvolverem o processo de utilização de diversos elementos químicos. Esses avanços contribuíram para o nascimento da Química moderna.

Na medicina aperfeiçoaram o conhecimento do corpo humano e descobriram formas novas de tratar as doenças. Também descobriram técnicas cirúrgicas e revelaram as causas de doenças contagiosas, como varíola e o sarampo.

A expansão islâmica também levou à difusão do idioma árabe, que era a «língua oficial» do mundo islâmico. Por isso, diversos idiomas contam com muitas palavras de origem árabe, como, no caso português, as palavras arroaz, café, algarismo, álgebra, álcool, frango, sorvete, jarra, alface, azeite, tarifa, açúcar, entre tantas outras.

A literatura e a arte

Apesar de terem escrito igualmente romances em prosa, a poesia, tanto a erudita como a popular, era privilegiada. Por exemplo, em «As mil e uma noites», contos populares oriundos de várias regiões, de tradição oral e só a partir do século XIII fixados em texto, são relatadas batalhas, vidas heroicas e amorosas.

A arte é profundamente marcada por preocupações religiosas e com caráter muito decorativo. Como o Alcorão proíbe a representação de homens e animais, os motivos são vegetais, geométricos ou epigráficos.

As principais construções muçulmanas são as mesquitas e os palácios. Nas mesquitas, sobressaem os minaretes, de onde os fiéis são chamados à oração, e, muitas vezes, grandiosas cúpulas, de tradição bizantina. A decoração desempenha um papel fundamental.

Recomendado para si:   Os Estado de Zimbabwe
Baixar Documento