Apontamentos Revestimentos superficiais tradicionais

Revestimentos superficiais tradicionais

As superfícies em adobe são notoriamente frágeis e necessitam de uma manutenção frequente.

Para se protegerem as superfícies exterior e interior das paredes novas em adobe, eram usados revestimentos superficiais tais como o “mud plaster”, o reboco de cal, o “white wash” e o “stucco”.

Estes revestimentos aplicados no exterior da construção em adobe retardavam a degradação superficial, oferecendo uma superfície renovável à parede em adobe. No passado, estes métodos eram baratos e facilmente disponíveis para o proprietário da casa em adobe, como soluções para manutenções periódicas e para melhoramentos visuais.

No entanto, os recentes aumentos nos custos do trabalho e as alterações nos valores culturais e socio-económicos fizeram com que muitos proprietários de casas em adobe procurassem materiais mais duráveis como alternativas a estes revestimentos superficiais tradicionais e, dantes, económicos.

“Mud plaster”: O “mud plaster” tem sido usado como revestimento superficial desde há muito. Tal como o adobe, o “mud plaster” é composto por argila, areia, água e palha ou erva, e por isso exibe características equiparáveis às do adobe original. O “mud plaster” liga-se ao adobe porque os dois são feitos com os mesmos materiais.

Apesar de a aplicação do “mud plaster” exigir pouca perícia, é um
processo laborioso e demorado. Uma vez aplicado, o “mud plaster” tem que ser regularizado. Esta operação é feita manualmente; por vezes usam-se peles de veado, peles de carneiro e pequenas pedras arredondadas para se regularizar este reboco e para se criar uma superfície “polida”. Nalgumas áreas,
misturam-se pigmentos rosados ou ocre na camada final “polida”.

Recomendado para si:   Humidade e degradação nos edifícios

“White wash”: O “white wash” já era usado em edifícios de terra muito antes da história passar a ser registada. Consistindo em pedra de gesso pulverizada, água e argila, o “white wash” actua como um selante e podia ser pintado à escova sobre a parede de adobe ou aplicado com grandes bocados de um tecido grosseiro, como a serapilheira.

Inicialmente, o “white wash” era considerado barato e fácil de ser aplicado. Mas a sua fraca durabilidade e o custo da sua renovação anual tornaram-no menos popular como revestimento superficial, na actualidade.

Reboco de cal: O reboco de cal, largamente usado durante o século XIX como revestimento exterior e interior, é muito mais resistente que o “mud plaster”. Ele é, no entanto, menos flexível e fendilha facilmente. Consiste em cal, areia e água, sendo aplicado em camadas espessas, à colher ou à escova.

Para se fazer o reboco de cal aderir ao adobe, as paredes eram frequentemente arranhadas na diagonal com a picadeira, produzindo-se riscos com cerca de 3 cm de profundidade. Estes riscos eram preenchidos com uma mistura de argamassa de cal e pequenas lascas de pedra ou de telhas partidas. A parede era então espessamente recoberta com argamassa de cal.

“Stucco” de cimento: Nos Estados Unidos, o “stucco” de cimento tornou-se usual como revestimento superficial do adobe nos princípios do século XX, para os estilos revivalistas da arquitectura de adobe do Sudoeste. O “stucco” de cimento consiste em cimento, areia e água, e é aplicado à colher, em 1 a 3 camadas, sobre uma rede de arame pregada à superfície do adobe.

Recomendado para si:   Teorias do Dolo

Este material era muito popular porque exigia pouca manutenção quando era aplicado sobre tijolos de adobe estabilizados ou cozidos, e porque podia ser pintado facilmente.

No entanto, deve-se assinalar que o “stucco” de cimento não cria nenhuma ligação com o adobe não estabilizado ou não cozido; ele tem que confiar na rede de arame e nos pregos para se manter no seu lugar. Mesmo quando eram usados pregos muito compridos, a humidade penetrando no adobe podia provocar a corrosão da rede e dos pregos, perdendo-se, assim, o contacto com o adobe.

Outros revestimentos superficiais tradicionais: Incluem-se aqui materiais tais como as tintas (à base de óleo, de resina ou de emulsão), as pinturas de cimento Portland, os revestimentos com extractos de plantas e mesmo os revestimentos com sangue fresco de animais (especialmente nos pavimentos em adobe).

Alguns destes revestimentos são baratos e fáceis de serem aplicados, proporcionam uma protecção superficial temporária e ainda estão à disposição dos proprietários de casas em adobe.

Baixar Documento