Remoção e Nova Aplicação

Remoção e Nova Aplicação

A remoção seguida de nova aplicação é o tratamento mais interventivo que se oferece ao conservador e só deve ser executado se a parede ou o papel estiverem severamente degradados. Para se minimizar a perturbação da integridade do papel de parede histórico, este deve ser removido em grandes secções, de preferência a dividi-lo em comprimentos individuais.

Quando está aplicado sobre tela, pode ser removido o papel de uma parede inteira soltando-se a tela dos pregos e retirando-se o papel, usando-se a tela como suporte. Outros métodos implicam técnicas físicas a seco, usando-se espátulas e facas sem bico para se trabalhar por detrás do papel. Em alternativa, são usadas técnicas químicas por via húmida, envolvendo uma variedade de soluções e pulverizações aquosas, e ainda o uso de vapor sobreaquecido e/ou enzimas, para se desligar a colagem entre o papel e a parede.

Um papel de parede, de fabricação mecânica, de meados do século XIX, severamente manchado, antes da conservação.

Esta remoção permite, então, o tratamento quer da frente, quer do verso do papel de parede. Ela também facilita técnicas mais eficazes de limpeza aquosa, consolidação e reparação, assim como permite a remoção e substituição dos forros degradados ou danificados. A própria superfície da parede pode ser reparada e preparada com um sistema de forro novo, mas historicamente adequado, sobre o qual se vai voltar a aplicar o papel já conservado.

O conservador de papel de parede fica, assim, armado com diversas opções de tratamento para conservar o papel de parede histórico. Como os papéis de parede são encarados como obras de arte que fazem parte de outra estrutura histórica, essa estrutura histórica deve ser encarada como um todo. A principal prioridade do conservador é a preservação do papel de parede, no entanto também é importante o reconhecimento sobre onde e como ele estava aplicado. Devem ser imitados, tanto quanto possível, os métodos originais de produção e de aplicação. No entanto, sempre que seja apropriado, devem ser usados matérias de conservação modernos, com qualidade, que irão proteger o papel de parede em vez de lhe provocarem danos, e que vão ajudar a preservá-lo para o futuro.