Apontamentos Materiais das Fachadas

Materiais das Fachadas

Os materiais que podem ser encontrados em fachadas no nosso país são numerosos e diversificados: pedras naturais, materiais manufacturados e seus eventuais revestimentos.

Pedras Naturais

Podem-se encontrar diversas pedras naturais em fachadas sob a forma de “melões”, de silhares ou de chapas apresentando-se acabamentos de superfície mais ou menos lisos, indo do polido ao tosco de clivagem, passando pelo amaciado, pelo trabalhado e pelo bujardado.

Pedras Calcárias Azuis

Estas pedras (resistência à compressão Rc > 100 N/mm2) encontram-se muito frequentemente em socos, faixas e lintéis em todas as regiões do país.

Mais localmente, e nas zonas de exploração, encontram-se fachadas constituídas exclusivamente por pedras calcárias azuis.

Os calcários crinóidicos de cor azul são classificados como “pedras azuis” ou “Petit Granit”.

Os dois termos estão estreitamente associados, ou seja sinónimos.

Os calcários do Meuse (calcários relativamente puros e compactos) e a pedra de Tournai (calcários argilo-silicioso) podem igualmente ser classificados petrográficamente nas pedras calcárias azuis.

Pedras Calcárias Brancas

A tonalidade (mais ou menos ocre ou acastanhada), a dureza e a proveniência destas pedras são muito variáveis. Encontram-se com efeito em fachadas dos edifícios:

  • 3⁄4 Pedras de origem belga tais como os calcários gresosos do Lédien (pedra de Balegem,…), do Bruxellien (pedra de Diegem, de Gobertange,…), do Sinémurien (pedra de Florenville, de Orval,…) ou do Bojocien (pedra de Grandcourt ou “Pierre Gaumaise”,…)
  • 3⁄4 Pedras de origem francesa, mais correntemenet usadas a partir do fim do século XIX. Trata-se geralmente de calcários relativamente puros, de origens diversas. Podemos sudividi-los em:
    • Pedras muito rijas (Rc > 80 N/mm2): pedras de Comblanchien, Hauteville,…
    • Pedras rijas (Rc > 50 N/mm2): pedras de Anstrude, de Massangis, de Vilhonneur,…
    • Pedras semi-rijas a firmes (Rc > 12 N/mm2): pedras de Brauvilliers, de Chauvigny, de Euville, de Tercé,…
    • Pedras brandas a muito brandas (Rc ≤ 12 N/mm2), pedras de Saint-Maximin, se Savonnières,…
  • 3⁄4 Pedras calcárias brandas de outras origens, como as pedras de Portland (GB), de Bodrak (Comunidade de Estados Independentes, CEI),…
Recomendado para si:   Cuidados com Dourados

Mármores

Na indústria da construção, a palavra “mármore” aplica-se às pedras calcárias cristalinas ou muito compactas, susceptíveis de receberem um polimento.

Utilizadas mais frequentemente em placas, os mármores de origens belga ou estrangeira podem apresentar uma muito larga gama de desenhos e cores.

Citemos de memória os mármores que apresentam uma tonalidade de base branca (Carrara,…), ocre escuro (Travertinos,…) ou negra (Negro Belga,…).

Grés e Quartzitos

Ainda que de utilização bastante limitada no nosso país, as rochas arenáceas consolidadas são as rochas sedimentares mais espalhadas à face da Terra. Provêem da cimentação natural de grãos de areia e apresentam por isso uma superfície de fractura áspera, geralmente rugosa.

A Bélgica possui numerosos grés e quartzitos, entre os quais podemos citas os grés de Condroz ou grés fammeniens – que são quase sempre os mais usados – os grés ferruginosos de Diesten e do Bruxellien (brandos a muito brandos, castanho avermelhados), os grés de Andenne (muito resistentes, branco rosados), os quartzitos do Landénien (muito rijos, esbranquiçados),… Numerosos grés são igualmente importados de França, da Alemanha e do Luxemburgo.

Granitos

Na indústria da construção, o termo “granito” aplica-se geralmente às rochas muito rijas de textura granular, frequentemente de tonalidades claras (cinzentas, rosas, avermelhadas ou azuladas) e apresentando um aspecto mosqueado.

Os granitos são mais frequentemente usados sob a forma de placas finas.

Recomendado para si:   O Regime Especial dos Direitos, Liberdade e Garantias
Baixar Documento