Apontamentos Injecção de barreiras químicas hidrofugantes e substituição de rebocos

Injecção de barreiras químicas hidrofugantes e substituição de rebocos

A injecção de barreiras hidrofugantes consiste, basicamente, na injecção de um material hidrorepelente ou bloqueador dos poros na base da parede, onde ele vai formar uma faixa difusa que “controla” a humidade.

Ao contrário de uma camada impermeável física, que proporciona uma barreira intransponível e efectua um corte imediato na subida da água, os sistemas químicos, geralmente, apenas  controlam essa subida da água – não a detêm.

Existe uma variedade de factores físicos, relacionados com  o substrato e com o processo de injecção, que fazem com que assim seja. Portanto, com os sistemas de injecção química, a parte inferior de uma parede pode permanecer sempre húmida.  

Consequentemente, para se proporcionar uma superfície decorativa não degradável, é necessário proceder-se à substituição dos rebocos.

A remoção dos rebocos velhos também remove, potencialmente, a pesada contaminação com sais higroscópicos e deliquescentes que se acumularam ao longo dos muitos anos de humidade ascendente e que, se deixados permanecer, poderão degradar as novas decorações. 

No entanto, o novo reboco tem uma outra função muito importante – ele deve ser capaz de evitar que os  sais higroscópicos e deliquescentes passem para a nova superfície, a partir da alvenaria subjacente. Esta  função é extremamente importante porque  

  • As paredes levam bastante tempo para secarem, e;
  • É provável que a parte inferior dessas paredes permaneça sempre húmida em consequência das limitações dos sistemas de injecção química.
Recomendado para si:   Um recurso com um valor potencial a ser explorado

Fundamentalmente, uma barreira química hidrofugante injectada é um sistema – a própria  injecção da barreira hidrofugante que “controla” a humidade ascendente, e a substituição do reboco que evita futuras degradações – estes dois processos são inseparáveis. 

Baixar Documento