Apontamentos Humedecimento e humidade relativa

Humedecimento e humidade relativa

Antes de encararmos a condensação, é necessário compreendermos um pouco a questão do vapor de água no ar.  

A qualquer dada temperatura, o ar pode conter uma certa quantidade de água sob a forma de vapor – e quanto mais quente estiver o ar, maior o seu potencial para conter vapor de água. Por exemplo:  

  • O ar a 10º C pode conter 7,6 g de água por kg de ar seco;
  • O ar a 20 º C pode conter 14,3 g de água por kg de ar seco – quase o dobro.  

Assim, se conhecermos a quantidade máxima de água que pode ser contida, isso pode ser muito útil para sabermos a que ponto é que o ar está “saturado” num determinado momento, ou seja, qual é a proporção entre a quantidade de vapor de água existente comparada com a quantidade máxima que poderia ser contida àquela dada temperatura. Esta proporção é conhecida por HUMIDADE RELATIVA (RH) e exprime-se em percentagem.  

A humidade relativa pode ser definida, portanto, como sendo a quantidade de vapor de água presente no ar, expressa em percentagem da máxima quantidade de vapor de água que esse ar poderia conter à mesma temperatura.  

Portanto, se o ar a, digamos, 10 º C pode conter, no máximo, 8 g de vapor de água, e se na realidade medirmos apenas 4 g no presente momento, a humidade relativa será de 4 / 8 x 100 = 50 %, ou seja, o ar está 50 % saturado. Da mesma forma, o ar a 20 º C pode conter, no máximo, cerca de 14 g de vapor de água, mas se medirmos apenas 7 g no presente momento, a humidade relativa será de 7 / 14 = 50 % à temperatura presente.  

Recomendado para si:   Critérios gerais sobre tratamentos da pedra
Baixar Documento