Apontamentos Depressões

Depressões

Características 

 As principais depressões existentes em Moçambique destacam – se os vales dos rios e as formas de relevo negativas onde se localizam-se os lagos e Pantanos. Estas depressões interrompem frequentemente a continuidade das planícies, planaltos e das montanhas.

Que estas evidências são como resultados dos movimentos tectónicos que no passado geológico manifestaram no continente africano na parte Oriental e em moçambique em particular.

Distribuição das Depressões

  • Depressão do vale do rio Zambeze, é a maior  não por constituir um dos maiores do continente africano, como também por atravessar regiões de litologia e tectónica complicada, ás quais o rio teve se adaptar.

Em alguns pontos do seu percurso o rio Zambeze, dada a resistência de certas formações rochosas por onde atravessa, escava o seu leito, constituindo gargantas apertadas e profundas, com grande relevância para a topografia do relevo.

  • Depressões Chire – Urema e Espungabera, estas formas negativas é resultado de movimentos grabens tectónicos e representam das superfícies falhadas que caracterizam a África Oriental.
  • Depressão do Niassa, onde se localizam os lagos Niassa, Chirua, Chiúta e Amaramba.
  • Depressão de Chissenga, é prolongamento do afundamento de Urema – Zangué para Sul; este aberga o curso inferior do Púngué e que se desvia para mar onde continua na plataforma continental.
  • Depressão de Funhalouro, constitue um dos mais importantes afundimentos tectónico á Sul do Rio Save.
  • Depressão do Xai-Xai, constitue um largo e profundo afundamento que representa o vale do rio Limpopó.
  • Depressão das Palmeiras, na província de Maputo, este afundamento é percorrido pelo rio Incomati, no extremo Sul composta o afundamento tectónico correspondente a baia de Maputo, etc.
Recomendado para si:   Emplastros

Resumo

As principais depressões existentes em Moçambique destacam-se os vales dos rios e as formas de relevo negativas onde se localizam-se os lagos e Pantanos, nomeadamente Depressão do Rio Zambeze, que é a maior, depressão do Niassa, depressão de Chire – Urema, de Espungabera e as que se registam-se no Sul do rio save. Estas depressões interrompem frequentemente a continuidade das planícies; planaltos e das montanhas.