Apontamentos Danos dos Dourados

Danos dos Dourados

Danos dos Dourados

“Se nada souberes, nada faças!” lia-se num aviso de segurança numa mina de carvão que eu visitei em tempos. Este aviso também poderia ser aplicado a qualquer pessoa que pretenda limpar ou “dar brilho” a mobiliário ou a decorações douradas. São produzidos mais danos nos dourados saudáveis por tratamentos inadequados do que por todas as causas acidentais juntas. Apesar de as superfícies douradas parecerem sólidas e metálicas, elas são, de facto, bastante delicadas e muito facilmente danificáveis. A maioria da folha de ouro tem no mínimo 22 quilates de pureza, pelo que é muito macia e fica facilmente marcada ou manchada se não for tratada com cuidado.

A água devasta os dourados a água porque dissolve a cola que liga o gesso – em segundos, mais frequentemente do que em minutos. Os solventes atacam a cola de óleo para ouro e removem o ouro da superfície; ou então podem dissolver a laca, removendo a tonalidade pretendida e deixando os dourados a água desprotegidos. No entanto, uma das piores causas de danos, simplesmente por ser aplicada, é a tinta dourada. Desde que ela passou a estar à venda, há cerca de quarenta anos atrás, tem sido liberalmente aplicada sobre todos os tipos de dourados perfeitamente saudáveis que apenas necessitavam de uma simples limpeza profissional, e em muitos casos nem disso. Esta tinta oxida para um castanho esverdeado, frequentemente em poucos meses, destruindo totalmente o efeito pretendido.

Recomendado para si:   Caruncho Vulgar da Mobília (Anobium Punctatum)

Com poucas excepções, qualquer objecto que justificou ter sido dourado, antes de mais, tem um valor intrínseco e não existe qualquer justificação para a aplicação de um substituto do ouro, seja ele tinta, spray, cera ou qualquer outra das mistelas actualmente à venda. A rápida fixação que estes materiais proporcionam é largamente descompensada pelos custos da sua remoção mais tarde, ou pela perda do próprio dourado.