Composição do “Stucco” Histórico

Antes da metade final do século XIX, o “stucco” consistia principalmente em cal hidratada ou apagada, água e areia, com palha ou crina animal adicionados como agente de ligação. Eram frequentemente usados cimentos naturais nas composições do “stucco” depois da sua descoberta nos Estados Unidos durante a década de 1820. O cimento  Portland começou a ser fabricado nos Estados Unidos em 1871, e foi substituindo gradualmente o cimento natural. Depois de cerca de 1900, a maioria do “stucco” era composto principalmente por cimento Portland, misturado com alguma cal. Com a adição do cimento Portland, o “stucco” tornou-se ainda mais versátil e durável. Deixou de ser usado apenas como revestimento para materiais resistentes como a alvenaria ou os troncos de árvores, podendo ser agora aplicado sobre ripas de madeira ou de metal fixadas a uma leve estrutura de madeira. Com este acréscimo de resistência, o “stucco” deixou de ser apenas uma cortina e tornou-se numa parte mais integrante da estrutura construída.

A composição do “stucco” depende dos hábitos locais e dos materiais disponíveis. O “stucco” contém frequentemente quantidades substanciais de lama ou argila, pó de mármore ou de tijolo, e até serradura e uma gama de aditivos variando desde sangue e urina de animais, até ovos, queratina ou grude (casco e cornos de animais), verniz, massa de trigo, açúcar, sal, silicato de sódio, alúmen, sebo, óleo de linhaça, cera de abelhas e vinho, cerveja, ou whisky de cevada. As ceras, gorduras e óleos eram incluídos para proporcionarem propriedades hidro-repelentes, os materiais açucarados para reduzirem a quantidade de água necessária e para retardarem o tempo de presa, e o álcool actuava como um incorporador de ar. Todos estes aditivos contribuíam para a determinação da resistência e da durabilidade do “stucco”.

A aparência da maioria do “stucco” é determinada pela cor da areia – ou, por vezes, da argila cozida – usada na mistura, mas o “stucco” era frequentemente colorido com pigmentos naturais, ou a sua superfície caiada a branco ou com uma cor, depois da sua execução ter sido concluída. O pó de tijolo que podia proporcionar cor, assim como outros materiais que não eram afectados pela cal, principalmente pigmentos minerais, podiam ser adicionados à mistura para a camada de acabamento final. O “stucco” também era marmoreado ou marmoritado – estanhado para se parecer com a pedra, pela diluição de óleo ou vitríolo (ácido sulfúrico) em água, e misturando-se esta com ocre amarelo ou outra cor. Conforme o século XX foi progredindo, passaram a ser adicionados em fábrica pigmentos manufacturados ou sintéticos nalgumas misturas de “stucco” pré-doseado.