Apontamentos Aterros de espessura variável

Aterros de espessura variável

Todos os aterros, já dissemos, assenta, e todas as pessoas aceitam que quanto maior é a espessura do aterro, mais importante será o assentamento.

Se tivermos que construir sobre aterros de espessura variável, devemos considerar que os assentamentos diferenciais não são negligenciáveis.

Teremos que estudar não somente a rigidez da obra a construir, mas ainda a estabilidade do conjunto, se não quisermos encontrar-nos em face de uma desventura análoga à que sucedeu na Torre de Pisa.

Sabendo que estavam a construir sobre aterro, os construtores tomaram – ou pelo menos acreditaram ter tomado – todas as precauções necessárias: a soleira prevista exercia sobre o solo uma tensão «razoável», as paredes da cave foram bem rigidifica fissurou… mas começou rapidamente a desviar-se da vertical. Este desvio era já de 24 cm (em 14 m) no fim dos trabalhos.

A inclinação continuou a acentuar-se, se bem que as autoridades municipais tenham feito um embargo por risco.

Os proprietários foram condenados a demolir o seu prédio, cuja inclinação atingia já 79 cm no último dia da sua existência. Deve-se, para já, notar que mesmo no fim da sua vida o prédio não estava desorganizado: tinha-se inclinado em conjunto.

Graças ao seu monolitismo, as técnicas actuais teriam, certamente, permitido recuperá-lo.

Recomendado para si:   A Distribuição Geográfica da População Mundial
Baixar Documento