Apontamentos As principais correntes Antropológicas

As principais correntes Antropológicas

Introdução

Nesta unidade temática vai aflorar duma forma geral as principais correntes antropológicas que directa ou indirectamente deram origem a diversas interpretações das manifestações daquilo que hoje constitui o objecto de estudo da antropologia. Por isso pretende-se que o estudante ao concluir, tenha capacidade de:

Objectivos específicos

  • Conhecer as principais correntes antropológicas.
  • Caracterizar cada corrente antropológica estudada.
  • O papel delas na interpretação das diferentes manifestações sociais.

Desenvolvimento

Ao longo dos seus pouco mais de cem anos de existência como disciplina académica, a antropologia produziu um conjunto de teorias muitas vezes em oposição entre si (ERIKSEN E NIELSEN, 2007).

Basicamente, essas teorias distribuem-se por dois paradigmas alternativos: um, o paradigma “científico”, inspirado nas ciências naturais, outro, a que podemos chamar “interpretativo”, o que considera a antropologia como a arte da interpretação e não como uma ciência (BATALHA, 2004).

Os adeptos do primeiro paradigma defendem que a actividade antropológica pode ter um carácter científico, enquanto os segundos dizem que a objectividade, tão apregoada pelo discurso científico, é impossível de alcançar em antropologia e que o lugar desta é entre as humanidades (literatura, história, estudos culturais, etc.).

Para os interpretativistas, cada sociedade e cada cultura são casos únicos e não é possível extrair generalizações válidas através da comparação de sociedades ou culturas.

Segundo Caldeira (1988) o antropólogo deve preocupar-se mais em “deixar falar” cada cultura através daquilo que as pessoas fazem e dizem, do que estabelecer generalizações com pretensão universalista.

Recomendado para si:   Contrato de Mandato

O relativismo cultural absoluto transforma-se numa forma de determinismo cultural, em que tudo é determinado pela especificidade de cada cultura, tornando-se esta na causa e fim de sim mesma.

As teorias antropológicas, tal como a teoria sociológica em geral, de acordo com Eriksen e Nielsen (2007) podem emanar de dois princípios metodológicos opostos: o individualismo metodológico e o colectivismo metodológico.

Resumidamente, os individualistas metodológicos defendem que entidades colectivas como sociedade, grupo, família, etc., são ficções criadas pela teoria sociológica; para eles apenas existem indivíduos, sendo a história o resultado de acções individuais.

Baixar Documento