Apontamentos Argamassas de terra aplicadas IN-SITU

Argamassas de terra aplicadas IN-SITU

Neste caso, a argamassa contém habitualmente argila, agregado, palha e, por vezes como componente incidental quando o material foi pisado por animais, excrementos e urina.

Nalgumas regiões, o principal componente é o “chalk”. É preciso adicionar-se apenas a água necessária para permitir que a composição seja convenientemente misturada, elevada para o plano de aplicação, e calcada com os pés.

A – Processo sem taipais/ Lento

Neste processo, a argamassa é aplicada e pisada em camadas espessas. A técnica é encontrada em muitas áreas onde as edificações em terra sobrevivem em grandes números, mas é o tipo de construção em terra predominante no Sul e no Sudoeste de Inglaterra, em Gales, nas West Midlands e no Buckinghamshire.

Alguns exemplos de designações regionais são “cob” (Sul e Sudoeste de Inglaterra), “clob” (Cornwall), “clom” e “pridd” (Gales), “mud” (East Midlands, Inglaterra do Sul e Gales), “clay” (East Midlands) e “grid witchert” (Buckinghamshire). Em zonas da Escócia, emprega-se um tipo de construção com uma argamassa onde se misturam “boulders”, que é chamada de “clay and dab”, “cloy and bool” e de “Auchenhalrig work”.

B – Processo sem taipais/ Rápido

Aqui a argamassa é pisada em camadas finas. Admite-se que esta técnica esteja confinada à área de Solwoy Firth (e também foram descobertos exemplos isolados noutros lugares), e é conhecida na Cumbria como “clay dabbins”.

As camadas finas permitiam que o processo de construção fosse contínuo, sem a necessidade de intervalos para secagem entre níveis de execução.

Recomendado para si:   Características da humidade proveniente do terreno

A camada de palha colocada entre camadas auxiliava este processo de secagem.

C – Processo com taipais

Neste processo, a argamassa é similar à usada nos processos sem taipais. É desconhecida a sua distribuição nacional, uma vez que é difícil de identificar, a menos que as marcas dos taipais sejam claramente visíveis depois da remoção das camadas de reboco.

No entanto, acredita-se que tenha sido muito difundido, se não intenso, o seu uso, provavelmente mais comum no Século XIX.

Na Escócia, algumas obras “clay and bool” eram executadas entre taipais.

Nesse caso, eram colocadas pedras aparelhadas contra a superfície dos taipais, e os espaços sobrantes eram preenchidos com uma argamassa de terra com agregado relativamente fino.

Baixar Documento