Apontamentos Acabamento estatuário sobre bronze

Acabamento estatuário sobre bronze

Pode-se produzir o acabamento estatuário em castanho claro, médio ou escuro conforme a concentração e o número de aplicações das soluções corantes.

As soluções aquosas de 2% a 10% de sulfato de amónio, sulfato de potássio (fel de enxofre) ou de sulfato de sódio são esfregadas ou aplicadas à escova.

Pode ser usado um tratamento prévio por oxidação para se melhorar a aderência.

Pode ser necessária uma demão final de acerto ou de combinação de tons para se conseguir um acerto de cor aceitável e uma cor uniforme.

Os procedimentos seguintes produzem uma sombra de castanho médio:

A. Processo por Sulfato de Amónio

  1. Com uma esponja ou com um esfregão bem torcido, esfrega-se uma camada fina de uma solução contendo 5% a 10% (em volume) de poliossulfato (escuro) e água.
  2. Enxaguar cuidadosamente.
  3. Aplicar, imediatamente de seguida, uma camada ligeiramente mais espessa de uma solução a 5% de sulfato de cobre em água ou de uma solução a 0,5% de ácido sulfúrico em água. Aplica-se esfregando-se com uma esponja ou com um esfregão.
  4. Não se deve contaminar as soluções pelo uso da mesma esponja na aplicação de ambas.
  5. Enxaguar cuidadosamente.
  6. Afina-se a tonalidade esfregando-se na direcção do grão com um esfregão abrasivo fino (Scotch Brite) enquanto está molhado.
  7. Removem-se os resíduos da solução por limpeza com um pano limpo húmido ou com uma esponja, e deixa-se secar.
    8. Repete-se até se obter a profundidade de cor desejada.
    9. Alternativamente, os objectos mais pequenos podem ser emergidos nas soluções de polissulfato de amónio e de sulfato de cobre.

B. Processo por Polissulfato de Potássio 

  1. Um galão de água acidificada a 1,5% (2 onças de ácido oxálico em 1 galão de água da torneira).
  2. Areia da praia fina.
    3. Sulfato de potássio (fel de enxofre) misturado em água da torneira (1/4 libra de fel de enxofre para 1 galão de água). Limpa-se o metal. Esfrega-se com a solução de sulfato de potássio com um pano branco e limpo, na direcção do grão do metal. Lava-se com uma toalha branca torcida em água acidificada. Aplica-se a areia da praia fina com outra toalha limpa molhada, actuando-se contra o grão do metal para se uniformizar a cor. Este procedimento é seguido até se atingir uma cor estatuária média. Pode ter que ser repetido diversas vezes até se obter a uniformidade. Depois de se ter atingido a cor desejada, neutraliza-se o trabalho com uma lavagem com água limpa.

C. Outros Processos/Procedimentos

  1. Limpa-se com pedra-pomes fina (0, 1/2) num pano limpo molhado com uma solução a 10%-20% de ácido oxálico em água.
  2. Esfrega-se com um pano macio limpo.
    3. Aplica-se uma solução a 5%-l 0% de sulfato de potássio ou de sulfato de amónio com outro pano macio mergulhado na solução e bem torcido.
    4. Continua-se, enquanto estiver molhado, por uma lavagem com água acidificada (cerca de 2 onças de ácido oxálico, sulfúrico ou nítrico em 1 galão de água) com um pano macio limpo bem torcido.
    5. Repetem-se os passos 3 e 4 até se obter uma profundidade de cor ligeiramente mais escura do que a sombra desejada.
    6. Alivia-se a superfície esfregando-se com areia da praia fina num pano limpo húmido até se conseguir a cor desejada.
    7. Enxagua-se e deixa-se secar.
Recomendado para si:   O DEL (Desenvolvimento Económico Local) em Moçambique

Acabamento estatuário sobre cobre

  1. Limpar o cobre com pedra-pomes e água, ou com pedra-pomes e solvente, até se remover toda a gordura, óleo ou alcatrão.
    2. Escovar toda a superfície com uma solução a 2% de sulfato de amónio líquido em água (dosagem técnica).
    3. Deixar secar. Aviva-se a cor esfregando-se ligeiramente com pedra-pomes e água, com uma escova fina de cerdas ou de latão.
    4. Repetem-se os passos 2 e 3 até se obter a cor desejada.

Manutenção

A regularidade é a chave de um programa de manutenção com sucesso. Deve ser acertado um programa de limpeza periódico com inspecções regulares nos intervalos.

Este programa deve ser diferenciado entre as superfícies interiores e as superfícies exteriores, bem como as que estiverem sujeitas a manuseamento, desmazelo e abrasão.

Quando é seguido um programa regular de manutenção, a maioria das instalações podem ser mantidas por aplicação de óleo ou por enceramento, outras por lacagem e algumas poucas por polimento.

As superfícies previamente acabadas ou naturalmente envelhecidas das sombras estatuárias em bronze podem ser mantidas por aplicação periódica de óleo, com Lemon Oil, U.S.P.; Lemon Grass Oil, Native E.I.; ou com um óleo de alto teor de parafina.

As misturas de cera de Carnauba com aguarrás ou de cera de abelhas com aguarrás, bem como de ceras comerciais de qualidade, em pasta, têm-se mostrado satisfatórias.

Devem, no entanto, ser comparados os custos das ceras com os dos óleos.

Os revestimentos superficiais de óleo e de cera parecem melhor quando são aplicados com um pano macio limpo bem impregnado, seguindo-se uma esfrega com um segundo pano macio limpo para se remover o excesso de cera ou de óleo.

È tão importante a frequência da aplicação, como o são o óleo ou a cera usados. Os metais recentemente instalados devem ser oleados semanalmente durante o primeiro mês para que se forme um filme protector.

Os metais sujeitos a tráfego pesado devem ser oleados ou encerados a intervalos de uma a duas semanas. Onde esse tráfego for moderado ou ligeiro, pode ser suficiente um tratamento mensal. Em zonas sem tráfego são aceitáveis  aplicações trimestrais ou anuais.

Recomendado para si:   As Ilhas e a sua Importância para a Economia Nacional 

Considerando-se uma entrada típica de um edifício, os puxadores da porta, as chapas ou barras de encosto, e os rodapés metálicos, tal como as fechaduras e as dobradiças das portas estão geralmente submetidos a tráfego pesado.

A aduela da porta e os aros das janelas adjacentes recebem geralmente menos contactos das mãos, e podem ser considerados áreas de tráfego moderado.

As vergas, as canópias e outros elementos metálicos semelhantes, normalmente fora do alcance das mãos, podem ser considerados como áreas sem tráfego.

Restauro

O bronze e as outras ligas de cobre podem ser restaurados para recuperarem a sua aparência original, mesmo após anos de negligência.

O restauro das superfícies negligenciadas pode requerer o aconselhamento por especialistas que complementem o trabalho de manutenção.

Para se restaurarem os acabamentos estatuários, as superfícies podem ser limpas com uma mistura de 5% de ácido oxálico e água juntamente com pedra-pomes da Índia finamente pulverizada.

Limpa-se com panos macios secos e aplica-se a solução de acabamento estatuário como acima indicado.

Lacagem

Pode-se conseguir um acabamento de protecção a longo termo pela aplicação de um revestimento orgânico transparente.

As formulações de secagem ao ar são as mais convenientes para serem usadas, e entre elas a formulação INCRALAC tem provado ser a mais protectora.

O INCRALAC é uma laca acrílica de secagem ao ar, para aplicação ao ar livre ou em casa, sobre cobre e ligas de cobre. Em resultado de uma pesquisa iniciada pela International Copper Research Association (actualmente, a International Copper Association, Ltd., ) o INCRALAC proporcionou a melhor protecção de todos os revestimentos de secagem a oar ensaiados.

Quando aplicado sobre superfícies metálicas adequadamente limpas, o INCRALAC proporciona uma excelente protecção em interiores e exteriores, mesmo em atmosferas altamente corrosivas industriais e marítimas.

O uso de esfregões abrasivos (por ex. O Scotch Brite) seguido por lavagem com um solvente de limpeza, prepara uma superfície para o seu máximo desempenho. Não deve ser usada lã de aço porque, por vezes, contém um inibidor de corrosão que pode provocar mais tarde alguma descoloração.

Se não existirem à venda esfregões abrasivos, a superfície deve ser abundantemente lavada com uma solução de limpeza contendo um solvente ou um alcali, ou por desengorduramento com vapor.

O INCRALAC é produzido para ser pulverizado e não deve ser escovado. Pode ser usado qualquer equipamento de aspersão convencional, aplicando-se primeiro uma camada nebulizada, seguida por uma camada molhada.

Recomendam-se duas camadas, com pelo menos 30 minutos de secagem ao ar entre camadas.

Baixar Documento