Tinta Estalada/ “Pele de Cobra”

Causas da condição – A tinta estalada e a “pele de cobra” são estados avançados de fissuração.

Uma vez que a ligação entre camadas tenha sido destruída por falha entre demãos de tinta, a humidade exterior fica em condições de penetrar pelas fissuras superficiais, provocando a movimentação da madeira e o aparecimento de fissuras mais profundas.

Este processo continua até à tinta estalada, a qual se forma paralelamente ao grão, estendendo-se até à madeira nua.

Finalmente, a tinta estalada transforma-se num padrão global de fendas horizontais e verticais nas camadas de tinta, que se parece com a pele dos répteis; daí o nome de “pele de cobra”. Nos estados avançados de tinta estalada e de “pele de cobra”, as superfícies também irão esfarelar-se gravemente.

Tratamento recomendado – Se existir tinta estalada ou “pele de cobra” apenas nas camadas superiores, é provável que elas possam ser raspadas, lixadas à mão ou mecanicamente até à próxima camada saudável, e depois repintadas. No entanto, se a tinta estalada e/ou a “pele de cobra” tiver progredido até à madeira nua e se a tinta tiver começado a esfarelar-se, ela vai ter que ser totalmente removida. Os métodos de execução incluem a raspagem ou a remoção de tinta com um fogão eléctrico, com um maçarico de ar quente ou com decapantes químicos, dependendo da área específica envolvida. A madeira nua deve ser tratada com um primário dentro das primeiras 48 horas e, depois, repintada.