Quais são os princípios da contabilidade?

Princípio de continuidade – presume se que a empresa opera continuamente não tendo intenção nem necessidade de entrar em liquidação ou paralisar significativamente a sua actividade. Este princípio é fundamental para transmitir confiança ao seguro e aos segurados e ao público em geral.O surgimento de princípios contabilísticos também revestido de grane importância sobre tudo se assumirmos que os utentes da informação contabilista ultrapassam as fronteiras de um Pais, se considerarmos que segurados e reassegurados são em muitas das vezes estrangeiros. Podemos falar de alguns príncipes contabilísticos geralmente aceites que a sua intervenção é indispensável na informação financeira tais como:

Princípio de consistência – os critérios valorimétricos não podem serem modificados de um exercício para o outro caso verifique se uma derrogação á este principio com efeitos materialmente relevante, deve constar uma nota explicativa, anexo as demonstrações financeiras.

Principio de especialização – os proveitos dos custos são reconhecidos quando obtidos ou incorridos, independentemente do seu pagamento, devendo incluir se nas demonstrações financeiras dos períodos a que respeitam ou criação das reservas (provisões técnicas).

Principio prudência – as contas devem pregar níveis de preocupação exigíveis por estimativas realizadas em condição de incerteza nos permitindo com tudo a criação de reservas ocultas ou provisões excessivas a qualificação dos activos e proveitos por defeito do passivo e custos por excesso.

Principio de substancia – sobre a forma segundo a qual as operações devem ser contabilizados e apresentados de acordo com a sua substancia e realidade económica e não meramente de acordo com a sua forma legal.

Princípio de materialidade – de acordo com este principio, as demonstrações devem divulgar todos os elementos que sejam materialmente relevantes e que possam afectar as avaliações aos pelos utentes interessados.