Intervenção Imediata

Logo que a causa e a extensão dos danos estejam determinados, podem-se iniciar tratamentos tais como escoramento, estabilização e demolições limitadas, preparatórios para a reparação ou para o restauro do estuque ornamental histórico.

Em primeiro lugar devem ser reparadas as infiltrações do telhado e as roturas das canalizações, para se eliminar o problema das intrusões de água. Devem ser executadas reparações estruturais gerais para se deterem os movimentos do edifício, o qual enfraquece os estuques da camada de base a que os enriquecimentos estão agarrados. As deformações do estuque ornamental devem ser corrigidas por escoramento inferior seguido pela aplicação de novas fixações.

Deve-se ser avaliada a adesão da camada de base às ripas e a dos ornamentos à camada de base para se evitarem maiores perdas de enriquecimentos. As intrusões consequentes de adaptações da utilização devem ser  cuidadosamente removidas para se protegerem os trabalhos de estuque decorativo existentes.

Deve ser ponderada nesta altura a supressão dos sistemas regulamentares de protecção contra incêndios. Os regulamentos modernos podem exigir detectores de calor/ fumo/ chama e sistemas de aspersão automática com diversos tipos e formas de aplicação. Os sistemas de protecção contra incêndio, assim os sistemas mecânicos (AVAC, canalização e eléctrico), devem ser projectados para que cumpram com os respectivos objectivos, mas com um impacto mínimo sobre o estuque decorativo. A canalização para o sistema de aspersores, por exemplo, pode correr acima dos caixotões novos ou existentes, de forma a que os aspersores sobressaiam ligeiramente das rosetas centrais do desenho dos caixotões. Deve ser previsto um acesso para as futuras manutenções e reparações do sistema.