Identificação dos Tipos de “Stucco”

A execução de análises ao “stucco” histórico pode proporcionar informações úteis sobre os seus componentes primários e sobre as respectivas proporções, e vão auxiliar a se assegurar que o novo “stucco” de substituição vai reproduzir o antigo o mais aproximadamente possível, no que respeita a resistência, composição, cor e textura. No entanto, a menos que seja exigido um restauro fiel, pode não valer a pena, nem ser possível em muitas circunstâncias tentar-se duplicar todos os ingredientes (especialmente alguns dos aditivos) na criação da argamassa para o novo “stucco”. Alguns artigos já não se vendem, e outros, especialmente a areia e a cal – os principais componentes do “stucco” tradicional – alteraram-se radicalmente ao logo dos tempos. Por exemplo, a maioria da areia usada no trabalho actual de pedreiro é areia fabricada, já que a areia dos rios, que era usada historicamente, é difícil de ser obtida, hoje em dia, em muitas partes do país. As características físicas e visuais da areia fabricada, em comparação com a areia dos rios, são bastante diferentes, o que afecta a forma como o “stucco” trabalha, assim como a forma como ele fica aparente. A mesma realidade é verdadeira com a cal, a qual é frequentemente substituída pelo gesso nos “stuccos” modernos. E mesmo que fosse possível a identificação de todos os artigos de um “stucco” histórico, a análise nunca iria revelar como é que ele tinha sido amassado e aplicado.

Existem, no entanto, testes simples que podem ser executados sobre uma pequena porção de “stucco” para se determinar a sua composição básica. Uma solução diluída de ácido hidroclorídrico (muriático) pode dissolver um “stucco” à base de cal, mas não outro à base de cimento Portland. Apesar de o emprego do cimento Portland se ter vulgarizado a partir de 1900, não existem datas limite precisas, já que as práticas de execução do “stucco” variavam entre executantes, e de região para região. Alguns executantes começaram a usar o cimento Portland em 1880, mas outros continuaram a preferir a cal ainda durante os primeiros anos do século XX. Embora seja seguro presumir-se que um “stucco” de finais do século XVIII ou dos princípios do século XIX é à base de cal, um outro de finais do século XIX ou de princípios do século XX tanto pode ser de cal como de cimento Portland. Outro factor importante a ser tido em consideração é que um edifício antigo em “stucco” foi provavelmente reparado muitas vezes durante os anos seguintes, e é provável que pelo menos algumas destas reparações contenham cimento Portland.