Formação de Professores

A Formação de Professores

Em 1945 começou a funcionar a escola missionária para a formação de professores destinados às escolas rudimentares. Os candidatos aos cursos deviam ter o ensino primário concluído, a 4ª classe.

A formação de professores foi-se estendendo a outros locais. De acordo com Boléo (1961:79) apud Robate (2006), “a formação de professores para o ensino missionário tinha lugar em Alvor, Magude, Homoíne, Dondo, Boroma, Quelimane, Alto-Molócuè, Marere, S. Pedro de Chiúre e Vila Cabral”.

A partir de 1964, passou-se a contar com três tipos de professores: o monitor, com três meses de formação pedagógica, após o ensino primário, para trabalhar nas escolas missionárias. Era o professor com a mais baixa habilitação profissional; o professor do posto, formado na Escola de Habilitação de Professores dePosto Escolar, para leccionar em escolas de ‘posto escolar’, nas zonas rurais e periferias urbanas; e o professor formado pelo Magistério Primário, com o ensino secundário geral completo, para ensinar àscrianças europeias e às dos assimilados, nas escolas primárias oficiais, e particulares.

A selectividade da escola colonial não se limitou apenas à excessiva carga de exames (exames anuais e de admissão a outros ciclos), mas também se apoiou na diferenciação estabelecida na formação de professores,com o fim de se cumprirem programas e objectivos educacionais diferenciados em escolas com características igualmente diferentes: rudimentares, para uns; oficiais e particulares, para outros estas seguiam os mesmos programas que os das escolas da metrópole.

No essencial, o ensino primário rudimentar e elementar consistia em conteúdos e objetivos alienadores: os alunos, pelo incipiente conhecimento da língua portuguesa, deviam, na sua iniciação nalíngua portuguesa, memorizar os conteúdos dos livros, sobre a cultura, história e geografia das conquistasportuguesas, a moral e religião cristãs. E porque o aluno devia mostrar que dominava os conteúdos,repetindo-os de cor, os métodos de ensino eram autoritários, frequentemente apoiados no recurso ao castigo físico, como forma de se garantir que o aluno adquirisse o comportamento desejado. O aluno era castigado por não demonstrar domínio da(s) matéria(s) ensinada(s), por não observar alguma exigência relativa à pauta de comportamento e funcionamento escolar, marcado pela obediência e pelo conformismo. O professor era o centro do ensino. A repetição e memorização, para dar lugar à imitação, eram as estratégiaspara o aluno aprender.

O sistema de formação de professores cumpria, assim, essencialmente, um determinado tipo de objetivos importantes para o regime colonial: objectivos de natureza ideológica em primeiro lugar, depois ainformação científica.