Conservação do Papel de Parede Histórico

Conservação do Papel de Parede Histórico

Os acabamentos decorativos têm tanto impacto sobre o carácter de um interior como qualquer elemento ou material arquitectónico. Os papéis de parede, em especial, estão entre os mais significativos, não só por causa do impacto visual do seu desenho, da sua cor e do seu acabamento, mas também por causa da elevada proporção da área superficial do interior que pode ser afectada. Actualmente os papéis de parede históricos também estão a atrair um interesse crescente, por direito próprio, como objectos de arte e de decoração. No entanto eles estão entre os mais vulneráveis elementos de um edifício, sujeitos às alterações dos padrões de gostos, aos danos acidentais e à degradação, e são raros os exemplos sobreviventes em interiores históricos, o que confere ainda mais importância à sua conservação e compreensão.

A conservação dos papéis de parede históricos baseia-se nas competências do conservador de papel treinado. Como elemento do interior histórico, a sua conservação deve, necessariamente, apoiar-se nas competências da pintura em cavalete, da pintura mural e também dos conservadores têxteis, e, sendo um elemento da fábrica do edifício, também pode envolver ligações próximas com arquitectos, consultores sobre edifícios históricos e outros especialistas, especialmente no que disser respeito à degradação.

Em simultâneo com esta abordagem multidisciplinar, o conservador também deve estar apto a reconhecer os desenhos de época e os estilos que não só encorajam a apreciação, mas também ajudam a identificar os materiais e as técnicas de manufactura contemporâneos. Por seu lado, estes têm peso na escolha do tratamento de conservação.