Antecedentes Históricos

O “stucco” tem sido usado desde os tempos mais antigos. Sendo ainda largamente usado em todo o mundo, é um dois mais vulgares materiais de construção tradicionais. Até aos anos de 1890, o “stucco”, tal como as argamassas, era principalmente à base de cal, mas a popularização do cimento Portland modificou a composição do “stucco”, assim como o fez com as argamassas, para um material mais duro.

Historicamente, a palavra “plaster” era frequentemente permutável com a palavra “stucco”; essa palavra ainda é preferida por muitas pessoas, especialmente quando se referem aos revestimentos tradicionais à base de cal. Durante  o século XIX, a palavra “stucco”, apesar de originalmente significar a fina ornamentação interior em “plasterwork”, ganhou uma grande aceitação nos Estados Unidos para significar o mesmo que “plastering”. “Render” ou “rendering” são palavras que significam o mesmo que “stucco”, especialmente no Reino Unido.

Este “stucco” dos princípios do século XIX, na Richardson-Owens-Thomas House em Savannah, Georgia, foi composto com um tipo de cimento natural.

Outros tratamentos e revestimentos históricos relacionados com o “stucco”, pelo menos no que respeita em parte a materiais de semelhante plasticidade ou maleabilidade, designam-se por “parging” ou “pargeting”, “wattle” e “daub”, “cob” e “chalk mud”, “pise de terre”, “rammed earth”, “briquete entre poteaux” ou “bousillage”, “half-timbering” e “adobe”. Todos eles são variações regionais das tradicionais composições de lama, argila, cal, greda, cimento, brita e palha. Muitos ainda são usados hoje em dia.